Artwork / Paintings / Etchings / Music & Art News / General News

Justice

Quote

Ivo Rosa — A Estátua de Sal

(Joseph Praetorius, 15/07/2019) Ivo Rosa Estou preocupado com as pressões públicas que se exercem sobre o juiz Ivo Rosa e o massacram, em desconsiderações sucessivas, sem que uma voz se levante em seu apoio, pela sustentação – nem sequer radical – que este juiz tem feito dos Direitos Fundamentais nas suas decisões. 257 more words

via Ivo Rosa — A Estátua de Sal 

 

 

Se preferirem ler já aqui o texto, na integra, deixo-o – seguidamente.

prae2

Texto escrito por: Joseph Praetorius – 15 / 07 / 2019

 

 

 

IVO ROSA

 

Estou preocupado com as pressões públicas que se exercem sobre o juiz
Ivo Rosa e o massacram, em desconsiderações sucessivas, sem que  uma voz se
levante em seu apoio, pela sustentação – nem sequer radical – que este juiz
tem feito dos Direitos Fundamentais nas suas decisões.

Mais uma vez, uma imprensa de prostituídos secunda o massacre dos
inimigos dos Direitos Fundamentais. Chegaram a imputar-lhe o desrespeito
pela jurisprudência dominante, imagine-se, como se houvesse jurisprudência obrigatória, como se ali na rua do Arsenal pudesse haver poderes
legislativos…

É bem certo que a liberdade só pode ser defendida por quem saiba o que isso
seja. Almas servis, com a gleba colada à pele (como já notava o medievo
Emanuel dei Rossi) são naturais inimigas dos direitos e, portanto, da Iustitia;
evidente – e celeste – opositora da prepotência e da opressão.

Queira Thémis, Nossa Senhora, amparar o magistrado de serena bravura que
pela certa conhece e trata pelo seu nome.

E creio que os juristas com a cabeça no sítio deviam protestar ao magistrado
a disponibilidade para o que possa ser-lhe útil. Por mim, aproveitarei estas
férias para mandar ao CSM uma cartinha a estranhar o massacre consentido,
sobretudo assente em asneras óbvias, de um juiz disciplinado, que sabe
defender a sua independência e respeitar os direitos dos seus concidadãos.

Os massacres destas “novas formas” de processo, incidem, primeiro, sobre os
arguidos a destruir, depois sobre os seus advogados – mas estes têm o dever
de ter as costas largas – e, por fim – era realmente o que faltava! – ousam
alvejar os juízes que não entreguem as cabeças pretendidas.
É mesmo preciso tratar disto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.

 

Advertisements

Sobre o Estado e os placards de bordeis (artigo do Jornal – O Tornado)

Deixo um artigo de uma das raríssimas fontes de jornalismo, uma onde uma pessoa respira fundo e mais uma vez agradece onde se pode encontrar neste idioma (o Português), o prazer de receber informação e de ler artigos, e onde não vê o penoso ghetto em que outra coisa se traveste e se tem travestido  (de forma tosca e tão notória)  de jornalismo.
Uma coisa é o ideário e os propósitos de gente que tinha algo em mente, que não o jornalismo, tais como Edward Bernays e seu sucessor Goebbels, outra será aquilo que se foi desenvolvendo e apurando, desde séculos antes de tais raptores e seus sósias, em que o propósito era o de informar – haver espaço para discussão – analisar – pesquisar – e servir de ferramenta para apurar o pensamento crítico (que é um bem tão precioso), assim como nos trazer coisas e eventos de relevo e de mérito, em diversas áreas (das ciências – às artes).

Poderei ser acusada de ser subjectiva se disser o que penso do artigo, em si, aqui publicado no jornal – O Tornado – mas é tão cristalina a qualidade do mesmo, que nem vejo ser necessário a minha opinião (mesmo que ela fosse útil para incentivar a sua leitura). Apenas desejo que o mesmo seja lido, e que se resgate o que será uma área tão mal tratada (e há décadas por mim, olhada de soslaio, e com um certo nojo, porque até já começa a ser dificil lembrar sequer um tempo em que se podia pegar em dois ou três jornais neste idioma, de simpatías contrárias entre os mesmos, e tirar uma espécie de azimute).
Mas ver agora tão grande fluxo de gente a procurar um jornal como O Tornado, por exemplo, mostra que há esperança, e um público não estupidificado pelos travestidos.

Artigo – autor José Preto (advogado)


LINK

(pode-se aceder ao artigo directamente através da ligação acima, ou, ao carregar sobre a imagem e frase de intodução ao artigo, aqui incluídas, seguidamente)

Deixo também algumas palavras que, embora não estejam no artigo, são do seu autor.

«O JORNAL TORNADO

Tem um título que me agrada, a prometer vendaval, por um lado, mas também a afirmar um regresso.

O Jornal Tornado quer ser e é uma das expressões do jornalismo que regressou. O jornal que tornou.

Tanto basta para que ninguém fale dele.

Ninguém o cita nas publicações agonizantes do território.

Nenhuma estação comercial fala dele e a Televisão Pública também não. É indiferente. O Jornal Tornado tem oito milhões de leitores em Língua Portuguesa nas quatro partidas do mundo. Isso dispensa qualquer atenção dos “grandes” jormalistas oficiais que reduziram o histórico Diário de Notícias a doze mil exemplares de tiragem e lhe remeteram a sede não menos histórica a uma reutilização em bloco de apartamentos.. (…) »
J. P. 


Como sou um dos leitores do jornal – O Tornado, vi o artigo que trago no outro dia.
Ainda não tinha reagido como desejava, na altura, ao o ver por não ter a adequada disponibilidade em o fazer.
E, há uma coisa que vem de há uns tempos esta parte, o não saber transmitir o quão difícil será, e é, o se conquistar leitores, como eu, e tanta gente como eu. (Podem não acreditar, por isto ser dito por mim mesma, e isso entendo, mas não posso deixar de o dizer. E isto aqui é o meu espaço: digo o que penso de forma livre, e sentida. Se me importasse com o que pensem de mim, ou de minhas opiniões (com muito, mesmo muito poucas e honrosas excepções, que me vão desaparecendo enquanto o tempo passa, ao deixarem de andar sobre a face desta nave anil , que gira em torno do nosso astro. Agora de repente, sou levada por abstracção e associação de ideias, a pensar em Kandinsky, e no valor do azul e, da cor do astro.  É bom sentir surgir tal tipo de coisas. Assim sendo, até já me vem uma música – também por abstracção e associação de ideias, de uma autora ”Helena”, à mente, porque vejo o recente tormento no país, de tal autora. E, enquanto vejo tempo duro (ainda mais duro) para esse belo povo que é o dela, recordo-me de um pedido de uma doce pessoa amiga e que, na altura por estar um pouco em estado sonâmbulo e mortiço, nem me recordava de uma obra preciosa – uma banda sonora. Na altura do pedido, recordara-me de uma banda sonora, e uma das que mesmo num tal estado me recordo – a do Cinema Paradiso. Acho que teria de estar morta mesmo, para não me recordar desse, mas foi uma tremenda falha não me vir à mente tal banda sonora que agora me lembro..
Lembrei-me de imediato de filmes do Tarko, por exemplo, assim como um filme precioso que levou o excepcional Leopardo de Ouro, esse realizado pelo talento do saudoso Álvaro de Morais, e esse por seu lado e por associação de ideias, a um músico que é autor de banda sonora de outro filme que – embora receptor de um galardão que me será mais ”banal” (premiado por um Oscar, mas isso em nada torna banal o autor, pois só engrandece o prémio, a meu ver, e apesar de tudo.  Os propósitos do plano Marshall, que de forma anti-arte conseguiram diminuir gigantes tais como um Fellini e outros, terá o lugar cativo que lhe couber no meu pensamento, ao contemplar a mutilação que causara, mas enfim….,  adiante..) – não será menos significativa a obra.
Pelo prazer de busca de música que me toca a alma, enquanto penso naquele doce pedido de quem me quer bem, aqui fica algo da Eleni Karaindrou.

É tão bom haver coisas que me encaminhem e me levem a Kandinsky, ou a obra (e agora neste caso) também, de `*Helenos.

E  outra peça de banda sonora, da mesma autora.

 

Votos de boa noite, aos que por aqui passarem.

________________-
Bom, agora não resisto e volto ao belo e inspirado – Cimema Paradiso, que mesmo quando se anda em estado somâmbulo como naquele dia, persiste sempre na memória

 


Julian Assange

(idioms: EN & ES ) Former President Rafael Correia : ”Assange is, and has been since last year, an Ecuadorian citizen”. As such, today’s arrest ”is not only unlawful in terms of the legal obligations with respect the status of those granted asylum (the rights thereof) and binding International Law , but also, the Ecuadorian Constitution” – which Correa classifies as ”unheard of” and ”outrageous”.
_____
El expresidente de Ecuador Rafael Correa – Correa ha recordado que “Assange es, desde el año pasado, ciudadano ecuatoriano”, con lo cual, según explica el exmandatario, la detención llevada acabo hoy “no solo rompe las reglas de asilo y el Derecho internacional, sino la Constitución ecuatoriana”, algo que Correa ha calificado como “inaudito” e “indignante”.
_________________________________________
SP – https://actualidad.rt.com/…/311328-correa-arresto-assange-l…

 

 

 


LINK:

ACLU | American Civil Liberties Union : comment on Julian Assange Arrest  
(April 11, 2019)

(Portion taken of the article. Please click on the available link for the full article)

« Ben Wizner, director of the American Civil Liberties Union’s Speech, Privacy, and Technology Project, issued the following comment in response:

“Any prosecution by the United States of Mr. Assange for Wikileaks’ publishing operations would be unprecedented and unconstitutional, and would open the door to criminal investigations of other news organizations. Moreover, prosecuting a foreign publisher for violating U.S. secrecy laws would set an especially dangerous precedent for U.S. journalists, who routinely violate foreign secrecy laws to deliver information vital to the public’s interest.

In response to the unsealed indictement, Wizner added:

“Criminally prosecuting a publisher for the publication of truthful information would be a first in American history, and unconstitutional. The government did not cross that Rubicon with today’s indictment, but the worst case scenario cannot yet be ruled out. We have no assurance that these are the only charges the government plans to bring against Mr. Assange. Further, while there is no First Amendment right to crack a government password, this indictment characterizes as ‘part of’ a criminal conspiracy the routine and protected activities journalists often engage in as part of their daily jobs, such as encouraging a source to provide more information. Given President Trump’s and his administration’s well-documented attacks on the freedom of the press, such characterizations are especially worrisome.”

 

 


Further links : (The Sydney Morning Herald)

 

 

LINK : 

The Martyrdom of Julian Assange –

Chris Hedges
Columnist

Chris Hedges is a Truthdig columnist, a Pulitzer Prize-winning journalist, a New York Times best-selling author, a professor in the college degree program offered to New Jersey state prisoners by Rutgers…(more)

(Paragraph taken from the article. Please click on the avaiable link for the full article)

« Under what law did Ecuadorian President Lenin Moreno capriciously terminate Julian Assange’s rights of asylum as a political refugee? Under what law did Moreno authorize British police to enter the Ecuadorian Embassy—diplomatically sanctioned sovereign territory—to arrest a naturalized citizen of Ecuador? Under what law did Prime Minister Theresa May order the British police to grab Assange, who has never committed a crime? Under what law did President Donald Trump demand the extradition of Assange, who is not a U.S. citizen and whose news organization is not based in the United States? »

 

 


 

 

 



Quote

As ameaças ao Estado de Direito Democrático — Aventar

Talvez já poucos se recordem – a memória é, segundo alguns estudos, afectada pelas redes wi-fi – do verdadeiro assalto que o governo do Dr. Passos Coelho tentou fazer ao Tribunal Constitucional, exercendo sobre ele uma tremenda e inédita chantagem que, a dada altura, ameaçou colocar em causa não apenas o princípio da separação de…

via As ameaças ao Estado de Direito Democrático — Aventar


Quote

Neto de Moura: vantagens e desvantagens de perder a vergonha — A Estátua de Sal

(Francisco Louçã, in Expresso, 04/03/2019) Ao desencadear uma tempestade quando se soube que ia processar algumas das pessoas que o criticaram (ou todas?), o juiz Neto de Moura pode ter agora compreendido que, numa sociedade de comunicação tão líquida, a pior das condenações é ser alvo de chacota. AJude a Estátua de Sal. Click…

via Neto de Moura: vantagens e desvantagens de perder a vergonha — A Estátua de Sal


Quote

O PSD, a Justiça e o surpreendente silêncio das esquerdas — A Estátua de Sal (There is a very strange McCarthy-like censorship occurring on the online social media network -Fb, in relation to ”Estátua de Sal”. There is no form of saying the source that is censored thusly invokes any kind of ”Hate” or that it has ever made any call for Hate Crimes of any sort, neither is there any possible excuse of there not being the necessary approval by the authors of the articles published therein. Make no mistake, said authors are legitimate and always published anywhere they please and anywhere that wishes to have them. Portugal is a country that has signed an oath – by international conventions – to uphold Freedom of Speech. There is no possible justification for said censorship that even goes against not only the mentioned International Conventions, but the country’s own constitution as well. I will not stand by and idly watch this go on, in silence, nor the throwing away of such things that at such great cost were made a fundamental right and duty in our constitution. Whomsoever is fueling such undemocratic, unconstitutional, abuse should be held accountable and denounced. No one is sure of the source of said censorship, but it has been going on for the past month. If they are ”fooling” the online social-media giant, they should be held accountable by it as well. |! | Aproveita-se para informar que continua a bizarríssima censura ao espaço do qual fui buscar este artigo. No tempo de Oliveira Salazar e de Franco no país ao lado do nosso o havia. E agora? Que dizer deste curioso regresso da tal mordaça da censura, para mais havendo acordos internacionais subscritos por nós aos quais – como Estado – somos obrigados a cumprir? Não pode haver equivoco possível, é intencional. Há cerca de um mês está patente: Censura, de tudo que seja publicado no Fb pela Estátua de Sal, sem que nela haja qualquer vestígio de quaisquer apelos a quaisquer ódios ou crimes movidos por quaisquer ódios, ou sequer que haja falta de autorização dos próprios autores dos artigos publicados. Sem justificação possível, a não ser que… (que dizer?)

(José Luís S. Curado, 18/02/2019) E concluo com uma interrogação: será que este pobre Titanic da Justiça vai para o fundo sem apelo nem agravo, com gente estranha na ponte, com os solistas da orquestra da esquerda a tocar num estranho uníssono o silêncio das valsas de Strauss? Haverá lealdades que valham tal naufrágio, meus senhores?

via O PSD, a Justiça e o surpreendente silêncio das esquerdas — A Estátua de Sal


Quote

ICE Let Sexual Assault Reports Slide At Migrant Detention Centers Run By Contractors: Inspector General — AMA NEwsInfo

Federal immigration officials are not adequately policing contractors running immigrant detention centers where serious problems are often going unreported, according to a report the inspector general for the Department of Homeland Security released last week. In some cases, contractors ― including both private businesses and public operations, such as county jails ― failed to notify Immigration…

via ICE Let Sexual Assault Reports Slide At Migrant Detention Centers Run By Contractors: Inspector General — AMA NEwsInfo


Quote

Terrorismo — A Estátua de Sal

(José Preto, advogado de Bruno de Carvalho, 18/11/2018) Pode ser expressão de uma oposição política, ou opção política de um regime para manter o poder. Começou aliás por aqui. Houve o regime do terror, antes do aparecimento do terrorismo como classificação. Embora não se mostre ainda sedimentado como conceito, terrorismo é uma imputação de violência política. A meramente militar não basta, embora possa caber na designação, porque é remetida para o rol dos crimes de guerra.

via Terrorismo — A Estátua de Sal


Quote

Greve dos juízes é crime de coacção contra órgãos constitucionais — A Estátua de Sal

(José Luís S. Curado, 22/11/2018) Mas, de imediato, instaurar procedimento criminal contra todos os grevistas, determinar a sua suspensão imediata com procedimento disciplinar e chamada a funções dos substitutos legais.

via Greve dos juízes é crime de coacção contra órgãos constitucionais — A Estátua de Sal


Quote

O sonso e a lei — Aventar

Nuno Veiga/LUSA A argumentação – acompanhada por uma ameaça de veto – com que o presidente da República pretende sustentar a sua exigência de uma Lei de Bases da Saúde à medida dos seus desejos, é um rosário de falácias e equívocos. 1- As leis em que se tem fundado o Serviço Nacional de Saúde…

via O sonso e a lei — Aventar


Quote

O aeroporto — Aventar

“È meglio que questa Declaracione de Impacto Ambientale saia a contento e presto, se capisci cosa intendo. O lo faccio una proposta qui non puo rifiutare.”

via O aeroporto — Aventar


Quote

Anedota de fim de ano — Aventar

Não há nada como a boa disposição para ajudar a acabar um ano e a começar outro. Por isso decidi, a título absolutamente excepcional, sem exemplo, contar aqui uma pequena anedota: Um dos advogados da equipa jurídica que acabou de salvar o Benfica de ir a julgamento no processo “e-toupeira”, é membro do Conselho de…

via Anedota de fim de ano — Aventar


Quote

Novo ciclo

A Estátua de Sal

(Joseph Praetorius, 30/10/2018)

prae2 Joseph Praetorius

Parecem fenómenos diferentes, embora neles haja aspectos comuns.

Na Europa, regista-se a exasperação das forças do trabalho, com o mercado invadido por vectores de migração a fazerem baixar os preços da mão de obra, acrescendo a pressão dos fundos financeiros e outros vectores de especulação,- somados ainda ao “preço” da presença das elites árabes, asiáticas, russa,brasileira, até e mesmo Norte Americana – que fazem subir os preços do imobiliário e retiram das cidades – mesmo com propósito confessado, como está a ser o caso de Lisboa – os vectores de classe média e média baixa que nelas sempre habitaram e lhes davam a cor e a identidade.

As classes médias foram postas em risco de vida pelo sistema e defendem-se. Como o sistema, de resto. As populações sentem-se atacadas pelos seus próprios estados. Com razão, infelizmente. E o sistema começou a defender-se contra a sua…

View original post 924 more words


Quote

Novo ciclo (Via – a Estátua de Sal)

via Novo ciclo


Please, please, please read and sign / Por favor leiam e assinem..

Por favor leiam e, assinem ♥

 

The following was copied and pasted directly from – HERE
I thank you in advance for reading, and in case you should sign (and I truly hope you do)

 

 

Oil exploration threatens narwhals and an entire way of life.

A tiny community is fighting Big Oil, and they need our help.

Off the coast of Clyde River, Nunavut, unspoiled Arctic waters are home to 90% of the world’s narwhals. These whales, with their unique tusks that look like a unicorn’s horn, take up a important role in the aquatic ecosystem. They are also an important food source for the native Inuit people, many of whom must rely on subsistence hunting to survive. But Clyde River, the narwhals, and everyone whose way of life depends on the ocean are in danger.

The Canadian government just granted oil corporations the right to search for drilling sites in the ocean near Clyde River. The environnmental devastation that comes with offshore drilling is bad enough, but the search is worse – these oil companies will use “seismic testing,” setting off huge explosions underwater. Like all whales, narwhals use their hearing to communicate and to find their way safely beneath the Arctic ice. The search for oil will deafen, disorient, and kill any narwhals caught in its path.

Save the narwhals! Sign the petition to stop Big Oil from destroying Arctic habitats.

For generations, big corporations have stripped northern Canada of its natural resources, trampling the rights of native peoples and destroying entire ecosystems for profit. The government has been complicit in this, auctioning off oil and mineral rights to the highest bidder and ignoring the consequences.

The people of Clyde River have had enough. They are standing up to the government and to Big Oil and fighting to protect their home. But there are only 900 people in Clyde River. They need us to stand with them. If we act now, we can stop the oil companies in their tracks before the damage is done.

Sign the petition to the government of Canada, saying NO to Big Oil wrecking the Arctic Ocean. 

**********
More information:

Help Protect Canada’s Arctic from Oil Spills Save the Arctic

 

 

 

(below once again the link to this specific petition below)

Sign the petition to the Canadian government.

Petition Text:

 

 

 

_____________________________________________.

 

This time I leave a drawing I love made by a grande-niece
(oh how I wish she and other children like her could grow up in a saner world ♥)

"A União Humanitária dos Doentes com Cancro presta consultas de clínica geral gratuitas e abertas a toda a população, todas as quartas-feiras." (from - GUIDA FINE ARTS) - regarding the free medical appointments for treating/discovering Cancer

 

 

 

 

 

(♥ for Jonh..)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.

.


March Moon (Sap Moon)

This slideshow requires JavaScript.

 

 

.. and the moon leaped out of the grass to cast its shadow.
(bleeding it all over the place)

 

 

 

 

 

It has come to my attention, just after listening to the above video and futher indulging in an ald favourite of mine (Mr. Yusuf  “Cat” Stevens).. the next video has one of the pieces that I most enjoy by the man. It appears to have become  to some a place to comment a valid point as Humanity searches for Joseph Kony whom has eluded justice since his  being indicted in 2005 for war crimes against Man..
– a horrid creature and leader of the LRA (Lord’s Resistance Army)  that has abducted near 100000 children to fight.. that has tortured and mutilated countless.. I say no more.

 

 

 

– and next.. I’ll just leave the music by one whom is on the opposite side of Humanity to Kony,
(he’s still one of my all time favourites – Yusuf – aka Cat Stevens)
and that as I mentioned, triggered my recollection of the subject-matter that is now apparently (and thankfully) returned to the “limelight” of world attention..

 

or for those who prefer one of the older versions from the 1970s

 

 

 

Sap Moon is what usually comes to mind as a name, as it makes me recall (from childhood memories)
seeing Sugar Maple trees being sapped around this time of year..

 

Also called (among other names)  Crust Moon, this moon is the last of  the Winter’s full moons and marks the turning point, or rather it foreshadows the arrival of a new season. Here’s to hoping this coincidence between the occurrence of this particular full moon and bringing to the Public Eye of this horrific fiend marks the beginning of a new era of solidarity, resolve, resourcefulness and Human Kindness..

 

(this post began as a simple exercise, trying to make visible the linking from one idea/memory/thought to another.. In this case the Moon – a song – another song – that led to Children – Justice – Humanity)

 

 

I refuse to mix in the “tags” of this post the names of both men, for Cat (Yusuf) Stevens
is a great humanitarian “unmixable” with the name of the other.. Thus for the purpose of spreading the Kony 2012 video I’ll only ‘tag’ the name of the man we all want to bring to justice.
Thank you for reading.
Have a wholesome Sunday.

 

 

 

(Sap Moon aka: Crust Moon, Worm Moon, Crow Moon)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.